Receba nossa Newsletter

Museu do Corpo de Bombeiros reúne histórias e objetos centenários da corporação

13 de junho de 2012

Todos sabem quem procurar nos momentos de desespero, mas poucos conhecem a história desses profissionais que tanto ajudam a sociedade: os bombeiros. O Museu do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro (CBMERJ), localizado no Quartel Central Marechal Souza Aguiar, no centro da cidade, foi criado há 35 anos para contar, detalhadamente, a trajetória da corporação e a sua evolução.

Criado em 1977, o museu inicialmente era localizado no Quartel do Méier e, somente em 1995, foi transferido para o Quartel Central, ocupando as instalações das antigas oficinas da corporação. O centro cultural ocupa hoje uma estrutura centenária. Em 2006, após restauração, foi reinaugurado como parte dos festejos dos 150 anos da fundação do Corpo de Bombeiros.

Os objetos expostos no museu vão das históricas viaturas do Corpo de Bombeiros até capacetes e coberturas usados pela corporação e por forças militares do Brasil e de outros países. Datada de 1856, aprimeira viatura dos bombeiros, que era de tração animal, faz parte do acervo do museu. Além de uma viatura que foi o primeiro veículo motorizado construído no país e montado nas oficinas da corporação.

Diferente dos dias atuais que com uma simples ligação é possível chamar a corporação para uma emergência, durante muitos anos, as pessoas usavam os avisadores de incêndios – uma espécie de caixa com um botão, que quando apertado, imediatamente acendia uma luz no posto do bombeiro. Um desses avisadores também está em exposição no museu.

A história dos heróis

 Juntamente com o crescimento do Rio de Janeiro, também aumentava o número de incêndios. Para resolver essa questão cada vez mais comum, D. Pedro II, em 1797, criou um Alvará Régio atribuindo a responsabilidade de extinção de incêndios ao Arsenal da Marinha, que tinha um grupo especializado em combater incêndios nas embarcações.

Somente em 1856, por meio de um decreto expedido por D. Pedro II, considerado patrono da corporação, foi criado o Corpo de Bombeiros – originalmente nomeado de Serviço de Extinção de Incêndios. Até1889, acorporação era chamada de Corpo de Bombeiros da Corte. Somente a partir de 1975, passou a ser reconhecida como CBMERJ.

 Segundo o coronel Caldas, diretor do museu, o incêndio que mais marcou o CBMERJ foi o da Ilha do Braço Forte, em 1954, quando 17 bombeiros morreram. Para ele, a evolução do Corpo de Bombeiros está totalmente ligada à história do Brasil. “É muito gratificante poder estar sempre descobrindo novas histórias da corporação”, destaca o coronel, que é bombeiro há 30 anos.

Visitas ao museu

As visitações ao museu são de terça-feira a sábado, das 9h às 17h. Sendo que as visitas guiadas e de até 40 pessoas devem ser agendadas pelo e-mail chcultural@cbmerj.rj.gov.br ou pelos telefones (21) 2333-3133 e 2333-3131.

Sandra Amâncio

smara@eletronuclear.gov.br

Você tem algo a dizer?

Seu e-mail NÃO é publicado e nem compartilhado com terceiros.
Campos obrigatórios estão marcados com *